16°C 26°C
Ubatã, BA
Publicidade
Anúncio

Lula sanciona com vetos Política Nacional de Qualidade do Ar

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou a Lei 14.850 , que cria a Política Nacional de Qualidade do Ar. A norma, que foi pu...

06/05/2024 às 15h14
Por: Redação Fonte: Agência Senado
Compartilhe:
Poluição nas cidades: lei cria indicador para relacionar impacto das concentrações dos poluentes no ar na saúde - Foto: Stock Photos
Poluição nas cidades: lei cria indicador para relacionar impacto das concentrações dos poluentes no ar na saúde - Foto: Stock Photos

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou a Lei 14.850 , que cria a Política Nacional de Qualidade do Ar. A norma, que foi publicada na edição de sexta-feira (3) doDiário Oficial da União,institui mecanismos para monitorar a qualidade do ar no país, com a divulgação dos dados para a população. O objetivo é assegurar a preservação da saúde pública, do bem-estar e da qualidade ambiental para as presentes e futuras gerações.

Entre outros pontos, o texto cria o Índice de Qualidade do Ar (IQAr), um indicador para relacionar o impacto das concentrações dos poluentes no ar na saúde. O IQAR será informado à população e integrará o Sistema Nacional de Gestão da Qualidade do Ar (MonitoAr).

O controle ficará sob a responsabilidade de órgãos ambientais, que deverão criar uma Rede Nacional de Monitoramento da Qualidade do Ar.

O PL 3.027/2022 , que deu origem à Lei, foi aprovado em março pelo Senado.

Padrões nacionais

A Lei 14.850/24 prevê que a União, por meio do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), estabelecerá padrões nacionais de qualidade do ar. De início, deverá haver um inventário nacional de emissões atmosféricas.

O documento deverá conter, entre outros itens, fontes de emissões atmosférica, poluentes inventariados e a distribuição geográfica das emissões por regiões, considerando as principais fontes de emissão.

Após o inventário, a União, por meio do Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima, deverá elaborar o Plano Nacional de Gestão da Qualidade do Ar, a ser atualizado a cada quatro anos.

Relator da proposta no Senado, senador Fabiano Contarato (PT-ES) destacou que a poluição do ar representa atualmente o maior risco ambiental para a saúde humana, segundo estudos da Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Cerca de 7 milhões de pessoas morrem vítimas de problemas respiratórios causados por poluentes, como a asma e o câncer de pulmão”, acrescentou.

De acordo com o Ministério da Saúde, 6,4 milhões de cidadãos acima de 18 anos sofrem com asma no Brasil.

Vetos

Lula vetou alguns pontos da lei. Entre eles, o que permitia aos estados estabelecer padrões de qualidade do ar em seu território em regulamentos próprios.

“A normatização de padrões de qualidade do ar e de limites de emissão editada pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente — Conama, em nível nacional, garante unicidade e segurança jurídica e operacional à regulamentação”, apontou o governo na justificativa do veto.

Também foram vetados dispositivos que fixavam prazos para o governo elaborar o inventário de emissões atmosféricas.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias